Loucura e consciência crítica

Quando Marx levantou sua crítica ao capitalismo, ele declarou que o que mantém a esfera de opressão geral é não só a infraestrutura material do sistema, mas a existência de uma superestrutura por trás dela que lhe dá toda a legitimação moral. A partir da sua constatação, aqueles que lhe sucederam deram início à criação do instrumento mais adequado para que aquela superestrutura não tarde a ser posta abaixo.

O que será que está acontecendo com as pessoas?

Elas estão cada vez mais burras, não estão mais amadurecendo, estão cada vez mais doentes, os crimes estão cada vez mais bárbaros, a impunidade fica cada vez maior, tudo é cada vez mais relativizado, as famílias estão acabando, as igrejas estão secando…

Parece haver algo muito errado com os humanos.

“Estamos num tempo de loucura geral como nunca antes na história”, o leitor pode pensar. “Isso só pode significar que estamos no fim do mundo”.

Ou você pode se perguntar: Como assim? Quando não houve algo de errado com os humanos?

Ao longo da história, nós já enfrentamos conflitos sangrentos, crimes absurdos, corrupção aos montes… Então, o que há de novo?

É, isso pode ser verdade.

Mas há, talvez, para nós, um elemento inédito na história, que, surgido em nossa época, possibilita que a “nossa loucura” seja muito maior, grotesca e evidente do que todas as outras: o sujeito de consciência crítica.

E ele não é mais do que um produto tardio do marxismo.

Considerando como as coisas estão atualmente, é até um pouco clichê colocar a culpa de tudo no marxismo, que virou o grande destruidor e avassalador de tudo. Mas, de certa forma, ele é mesmo.

Sem o marxismo, o nosso sujeito de consciência crítica não existiria e, conseqüentemente, “a nossa loucura” talvez não fosse muito mais interessante do que qualquer outra ao longo da história.

Se você não está convencido, tenha calma.

Nós explicaremos no próximo texto a ser publicado neste blog.

Outros Artigos

Outros Artigos

Hollywood: fábrica de sonhos ou de frustrações?

Hollywood foi a responsável por desenvolver uma linguagem cinematográfica com um poder imenso de sedução e fascínio. O que todos ignoram é que aquela que ficou conhecida como grande fábrica de sonhos é, na verdade, uma perversa fábrica de frustrações. __ “No futuro, todos serão mundialmente famosos por quinze minutos.”...

O cinema está morto?

O cinema pode ser uma arte e um instrumento de conhecimento, um meio de descoberta, mas é geralmente utilizado como uma prodigiosa máquina de propaganda e persuasão, que, cativando o espectador com seus poderosos meios de sedução e entretenimento, instala em sua alma uma série de desvios, violando completamente a...

Pai X Professor: O que você precisa fazer a respeito da educação do seu filho?

Vivemos numa sociedade burguesa na qual as pessoas preferem pagar por serviços para que nunca tenham de se preocupar com aquilo. Assim também acontece com a educação dos filhos.  ___ Em um dos nossos textos mais recentes (Qual é a responsabilidade dos pais na educação dos filhos?) refletimos acerca da...

Qual é a responsabilidade dos pais na educação dos filhos?

Muitos pais, por insegurança, negligência ou ignorância, acreditam que podem terceirizar completamente a educação dos seus filhos. Não sabem eles que possuem uma missão que não há como ser transferida. ___ Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abro­lhos? Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá...

Por que seu filho deve ler literatura pagã? 

A suspensão do juízo moral: Aprendendo a ler literatura com O Estrangeiro, de Albert Camus

Muitos leitores de obras ficcionais da literatura, ao se debruçarem sobre narrativas diversas à sua própria realidade e visão de mundo, esbarram apressadamente num obstáculo quase insuperável que lhes impede de apreciar e compreender aquilo que leem e cuja contenção é indispensável para o domínio das capacidades de leitura e...

Data de Expiração: ---