O culto às paixões e a escravidão intelectual

Sufocando-se programaticamente a inteligência, domina-se o homem como a um animal adestrado. Mas como fazê-lo?

Você deve lembrar que recentemente conversamos em alguns textos passados a respeito do uso da burrice como instrumento de controle político.

Como dissemos, a carência intelectual retira das pessoas a capacidade de julgar os fatos e as circunstâncias de acordo com a realidade, de modo que se tornam facilmente manipuláveis.

Daí que todo totalitarismo seja precedido invariavelmente de um processo de emburrecimento programado. Mas há um detalhe do qual não tratamos.

Aristóteles dizia que o homem é um animal racional. Isso quer dizer que a marca distintivamente humana, aquilo que de fato o diferencia dos outros animais, é precisamente a sua razão. O que significa que, sufocando a inteligência, pode-se dominar o homem, adestrá-lo, como a um animal doméstico.

Mas se a razão é uma capacidade naturalmente humana, e é mais elevada entre todas as outras, então deve haver um chamado na alma de cada homem para a inteligência.

Então, como impedir que o homem venha a desenvolver essa capacidade? Como silenciar esse chamado, que sequer vem de fora, mas de dentro dele?

Pois, perceba, uma coisa é tornar o homem burro, e outra é fazer com que ele permaneça na burrice. Portanto, não basta apenas “retirar” o conhecimento do homem, por exemplo, com uma proposta educacional que não lhe eduque. É preciso impedir que ele deseje conhecer.

E como fazê-lo?

Ora, se a inteligência é o que há de mais superior no ser humano, para impedir que ele se eleve para alcançá-la, deve-se, então, aprisioná-lo no que é inferior.

Josef Pieper, escolástico do século XX, diz algo a respeito desse assunto que pode nos ajudar a encontrar as respostas que estamos buscando aqui:

“Um homem imprudente deseja acima de tudo algo para si mesmo, é distraído por um interesse subjetivo. Seu desejo de prazer constantemente tensionado evita que confronte a realidade com aquele desapego altruísta que unicamente torna o conhecimento possível.

[…]

Num coração imprudente, a atenção não está apenas fixada em um certo caminho, pois a janela da alma perdeu sua transparência, isto é, sua capacidade de perceber a existência, como se o interesse egoísta a tivesse encoberto, por assim dizer, com uma película de poeira.”

(Josef Pieper)

Para que o homem torne-se incapaz de confrontar-se com a realidade, o que lhe permitiria encontrar o conhecimento, é preciso transformá-lo no homem imprudente de Josef Pieper: preso em si mesmo, escravizado pelo desejo de prazer.

Veja que ele está estabelecendo uma analogia na qual o intelecto se assemelha a um vidro ou espelho manchado, e a película de poeira corresponde às paixões.

Se um homem é dominado por suas paixões, pelo prazer incessante, o seu intelecto está sujo, de modo que a luz — a luz da Verdade, do conhecimento — seja impedida de penetrar livremente.

Assim, ele torna-se incapaz de enxergar com clareza e desenvolver aquilo que propriamente chamamos de conhecimento e sabedoria.

Daí que, na educação moderna, as pessoas sejam não apenas emburrecidas programaticamente, mas, ao mesmo tempo, iniciadas num culto religioso às paixões, sendo induzidas a abraçar todo tipo de perversão passional.

Desse modo, todos os elementos essenciais à receptividade do conhecimento deixam de existir; aquele chamado à inteligência é silenciado.

E o homem, em vez de utilizar o intelecto como receptáculo da Verdade, o transforma no serviçal das suas paixões e torna-se escravo daqueles que as controlam.

Outros Artigos

Outros Artigos

Hollywood: fábrica de sonhos ou de frustrações?

Hollywood foi a responsável por desenvolver uma linguagem cinematográfica com um poder imenso de sedução e fascínio. O que todos ignoram é que aquela que ficou conhecida como grande fábrica de sonhos é, na verdade, uma perversa fábrica de frustrações. __ “No futuro, todos serão mundialmente famosos por quinze minutos.”...

O cinema está morto?

O cinema pode ser uma arte e um instrumento de conhecimento, um meio de descoberta, mas é geralmente utilizado como uma prodigiosa máquina de propaganda e persuasão, que, cativando o espectador com seus poderosos meios de sedução e entretenimento, instala em sua alma uma série de desvios, violando completamente a...

Pai X Professor: O que você precisa fazer a respeito da educação do seu filho?

Vivemos numa sociedade burguesa na qual as pessoas preferem pagar por serviços para que nunca tenham de se preocupar com aquilo. Assim também acontece com a educação dos filhos.  ___ Em um dos nossos textos mais recentes (Qual é a responsabilidade dos pais na educação dos filhos?) refletimos acerca da...

Qual é a responsabilidade dos pais na educação dos filhos?

Muitos pais, por insegurança, negligência ou ignorância, acreditam que podem terceirizar completamente a educação dos seus filhos. Não sabem eles que possuem uma missão que não há como ser transferida. ___ Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abro­lhos? Toda árvore boa dá bons frutos; toda árvore má dá...

Por que seu filho deve ler literatura pagã? 

A suspensão do juízo moral: Aprendendo a ler literatura com O Estrangeiro, de Albert Camus

Muitos leitores de obras ficcionais da literatura, ao se debruçarem sobre narrativas diversas à sua própria realidade e visão de mundo, esbarram apressadamente num obstáculo quase insuperável que lhes impede de apreciar e compreender aquilo que leem e cuja contenção é indispensável para o domínio das capacidades de leitura e...

Data de Expiração: ---